Qualquer Dieta Emagrece?

Será que qualquer dieta ajuda no emagrecimento? Para responder a essa pergunta, analisamos a eficácia de algumas dietas e os riscos da alimentação restritiva.

Dietas

Uma pergunta que acompanha várias pessoas que querem perder peso é: qualquer dieta emagrece? Essa é uma questão complicada, porque envolve vários fatores. Para começar, precisamos entender o que é dieta. Apesar de quase sempre associarmos essa palavra ao emagrecimento, ela pode ser um sentido bem mais abrangente.

Segundo o dicionário Priberam:

di·e·ta
(grego díaita, -es, maneira de viver)

1. Regime alimentar (ex.: o médico aconselha uma dieta saudável aos doentes, dieta vegetariana).

2. Abstenção de alguns ou de todos os alimentos, geralmente em caso de doença ou para perda de massa corporal gorda.

Assim, podemos notar que a palavra dieta está diretamente ligada à alimentação, mas não necessariamente ao emagrecimento. Uma pessoa que sofre com a doença celíaca, por exemplo, precisará seguir uma dieta livre de glúten. Isso não significa, no entanto, que ela irá perder peso. O mesmo acontece com as dietas para quem tem alergias, diabetes, colesterol alto e etc. – ainda que, em alguns desses casos, a redução de peso seja fundamental.

Resumidamente, é possível dizer que a dieta é uma interferência na forma de alimentação que restringe o consumo e a quantidade ingerida de alguns alimentos. A rigor, nem toda dieta emagrece, uma vez que, como vimos, existem dietas que podem apenas cortar um ingrediente ou substância da alimentação.

Dieta

É preciso tomar cuidado com dietas milagrosas!

Dietas de Emagrecimento

Agora que já falamos das dietas de um modo geral, vamos analisar com mais cuidado as dietas de emagrecimento. Normalmente, uma dieta para perda de peso prescreve uma redução na quantidade de calorias consumidas diariamente. Uma pessoa normal deve consumir, em média, 2.200 calorias por dia para que o organismo realize suas funções. As dietas para eliminação de sobrepeso reduzem essa quantidade, facilitando a queima de gorduras.

Para que você entenda melhor esse processo, é preciso pensar no funcionamento metabólico do corpo humano. Nós usamos a alimentação como fonte energética. O organismo transformar as calorias dos alimentos em energia para que o próprio corpo possa funcionar. Dito de um jeito simples, gastamos calorias para andar, respirar, pensar e até dormir.

A parte das calorias que não é usada como fonte energética fica armazenada sob a forma de gordura, porque o corpo entende que pode precisar disso mais tarde. Se você consomem mais calorias do que gasta, a tendência, portanto, é ganhar peso.

Por outro lado, existe o cálculo contrário. Quando consumimos menos calorias do que o corpo precisa para funcionar adequadamente, as reservas de gordura começam a ser usadas. Assim, as dietas de emagrecimento cortam calorias para facilitar a redução de massa. O ideal é que o metabolismo opere com saldo negativo para que você possa eliminar os quilinhos indesejados.

Qualquer Dieta Emagrece?

Uma pesquisa realizada em 2014 pela Faculdade de Medicina da Universidade McMaster, no Canadá, analisou a eficácia de duas dietas bastante conhecidas: a Dieta Atkins, que restringe o consumo de carboidratos, e as dietas que preveem redução na ingestão de gorduras.

Para o estudo, os pesquisadores verificaram os resultados de 48 estudos clínicos realizados com mais de 7 mil pessoas obesas ou com sobrepeso. Após a análise cuidadosa dos dados, eles observaram que o índice de perda de peso promovido pelos dois tipos de dieta foi muito parecido. Em 1 ano a média de perda de peso foi de 7,2 quilos para ambas as dietas.

Com isso, os estudiosos concluíram que seguir corretamente a dieta mais importante para o emagrecimento que o tipo de restrição do cardápio. No artigo, os pesquisadores afirmam que:

“Nossos achados são importantes porque muitos pacientes podem ter dificuldade em aderir a dietas restritivas e muito difíceis de serem mantidas. O estudo sugere que os pacientes podem escolher, entre as dietas associadas com as maiores perdas de peso, a que seja menos desafiadora para eles” (Fonte: Revista Veja).

O resultado, portanto, mostra que a escolha do tipo de dieta deve ser feita com base nas necessidades de cada indivíduo. Se ela for seguida, o emagrecimento é um efeito natural.

Perder peso

Perder peso requer cuidados com a saúde!

Dietas Restritivas

Outro ponto importante a ser ressaltado sobre as dietas é seu resultado a longo prazo. Se você passar 1 semana comendo apenas gelatina, por exemplo, certamente vai perder peso durante esse período. A questão é como o organismo reage a uma alimentação tão restritiva. As chances de você ter problemas de saúde por causa da falta de nutrientes é grande. O corpo pode se sentir fraco e você tem sérias chances de sofrer com as quedas de imunidade.

Além disso, o chamado efeito sanfona, ou seja, engordar e emagrecer frequentemente é um dos problemas relacionados às dietas restritivas. Apesar do emagrecimento rápido, não há uma mudança nos hábitos que realmente contribui para a perda de peso saudável. Após o período de restrição, você tende a voltar ao peso anterior ou ganhar mais massa ainda.

Os especialistas alertam para dietas como a Dukan, a Dieta da Sopa e outros cardápios cheios de restrições. Eles podem danificar o organismo de forma irreversível e ainda não promover a perda de peso desejada. O mais importante não é pensar se essas dietas de fato emagrecem, mas qual é o feito delas para o nosso corpo. Perder peso a qualquer custo pode ser ainda mais danoso!

Por Mila Silva nas categorias Dietas. Tags: , , , , , , , , ,

Você vai gostar

Dieta da USP

Dieta das 3 Maçãs por Dia

Cardápio para a dieta do tipo sanguíneo B