A Dieta da Bactéria

Veja o que as bactérias presentes no seu organismo podem fazer para você perder peso. Conheça a dieta que promete “ensinar” as bactérias a trabalharem a favor do emagrecimento.

Dietas

A Dieta da Bactéria é resultado de publicações recentes de dois grandes nomes dos Estados Unidos, Brenda Watson que é conhecida por suas dicas de como perder peso dentro de uma faceta naturalista e o médico de Nova York, Dr. Raphael Kellman, que agrega à medicina traços místicos como a cabala.

Ambos, porém, de maneira independente, lançaram livros sobre como emagrecer com ajuda das bactérias presentes em todo o sistema digestivo. Ou seja, alimentar-se de modo a aproveitar os benefícios que as bactérias podem oferecer.

As Bactérias

Os Lactobacilos são exemplos de bactérias que estão presentes no nosso sistema digestivo.

O organismo humano tem pelo menos uma centena de trilhões de bactérias, de até mil espécies diferentes, formando um ecossistema do conjunto de micro-organismos chamado de Microbiota. Há cientistas que acreditam que esse conjunto de bactérias é semelhante a um órgão devido às suas reações metabólicas e importância para o corpo.

Uma das grandes funções das bactérias do intestino, formadoras da flora intestinal, é a fermentação de carboidratos que não foram absorvidos pelo estômago ou em outras etapas da digestão. Com a fermentação é possível ganho de energia e afastamento de bactérias causadora de doenças.

As boas bactérias também são responsáveis pela síntese da vitamina K e vitamina B e produção de hormônios.

A quantidade de bactérias de acordo com as espécies variam de acordo com o tipo de vida que a pessoa leva, assim como a idade.

Como Funciona a Dieta

O que Watson e Kellman, querem com seus livros, A Dieta do Intestino Magro e A Dieta do Microbioma, respectivamente, é fazer com que as pessoas se alimentem de acordo com o funcionamento destas bactérias. Fazendo com que as boas bactérias trabalhem a favor da saúde, em especial do emagrecimento saudável e manutenção do peso. Pois foi constatado em pesquisas científicas que o desequilíbrio desta colônia de bactérias causam o aumento do peso.

A explicação consiste, grosso modo, em educar as bactérias do organismo para que trabalhem em favor do emagrecimento até mesmo fazendo com que elas não nos emitam “pedidos” de comidas que engordam, como gorduras e doces.

Carboidratos, açúcar e proteínas são basicamente excluídos do cardápio, e o que se pode comer são os alimentos fermentados e os ricos em fibras; até os vegetais, frutas e verduras são escolhidos à dedo. O menu baseia-se em manter grãos, castanhas, iogurte, algumas frutas e bastante repolho.

Perigos

Alguns médicos e nutricionistas temem que esta dieta possa fazer mal, mesmo equilibrando a flora intestinal.
As pesquisas sobre o Microbioma ainda são muito iniciais devido à dimensão de seu objeto de estudo. E com isso, corre-se o risco de evitar a proliferação de algumas bactérias que causam a obesidade, porém que seja de extrema importância para o bom funcionamento do organismo em outra função.

O que se sabe é que por exemplo, a bactéria Bacteroidetes é mais presente no organismo de pessoas magras, o que leva a crer que elas são importantes na manutenção do peso. Enquanto a bactéria Firmicutes é chamada de bactéria da obesidade. Assim como é conhecido que a bactéria Helicobacter pylori (H. pylori) é a causadora da gastrite crônica no estômago e que requer tratamento para curar, para até mesmo se evitar um câncer estomacal.

Mas ainda é cedo para dizer qual bactéria deve ser mantida e qual excluída do organismo. Pois a quantidade delas também diferencia os resultados em questão de saúde e patologia. Como o caso da bactéria Lactobacilos que é importante para o intestino. Mas a presença dela em quantidade fora dos padrões normais indica até que a pessoa esteja com desenvolvimento de um câncer.

Determinar o que é normal para a microbiota é algo que ainda não é possível mensurar com os estudos existentes atualmente.

Atenção: Não confunda a Dieta Microbiota com Dieta Macrobiótica. Esta segunda tem mais a ver com a questão do equilíbrio do organismo e bem-estar da pessoa numa relação mais mística com conceitos de Yin e Yang.

O consumo de alimentos probióticos ou prebióticos, embora tenha relação, não é necessariamente parte desta dieta, pois estes alimentos são especialmente recomendados para quem tem problema de intestino preso ou a síndrome do intestino irritável.

 

Por Vânia nas categorias Dietas. Tags: , , , , , ,

Você vai gostar

Dieta do Shake: perca 2 kg em 10 dias (parte 2)

Dieta do Shake: perca 2 kg em 10 dias (parte 1)

Sua dieta, sua saúde